Brasil

Doria pede que PM não seja condenada de antemão por mortes em Paraisópolis

Governador declarou que a polícia de São Paulo é a mais bem treinada do Brasil

[Doria pede que PM não seja condenada de antemão por mortes em Paraisópolis]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Catarina Lopes no dia 03 de Dezembro de 2019 ⋅ 19:00

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pediu hoje (3) que a Polícia Militar não seja condenada de antemão pela morte de nove jovens na favela de Paraisópolis. A declaração foi dada em entrevista à jornalistas estrangeiros.

“Não se pode condenar uma corporação, ainda mais a Polícia Militar do estado de São Paulo, que é a mais bem treinada polícia militar do país, e a melhor polícia militar do Brasil. Não se pode condenar se dois, três, quatro, cinco ou seis policiais cometeram equívocos. É preciso investigar e, havendo a culpabilidade, penalizá-los, evidentemente”, afirmou o governador.

Doria manteve que não ocorreu ação policial no local. “Não se trata de uma ação policial, não houve disparo, nenhuma ação policial efetiva, que tenha proporcionado a morte de qualquer um deles. Uma situação de descontrole da população, tínhamos 5 mil pessoas agrupadas na madrugada, em uma região onde nem sequer deveria estar havendo uma manifestação desse tipo, porque ela é proibida pela prefeitura”, disse ele.

Notícias relacionadas