Cidade

Tinoco lamenta 'falta de habilidade' para detectar origem de óleo nas praias

Responsável pelo vazamento que começou no início de setembro ainda não foi identificado

[Tinoco lamenta 'falta de habilidade' para detectar origem de óleo nas praias ]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Juliana Almirante no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 10:41

O secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Cláudio Tinoco, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole hoje (15), que a prefeitura tem feito sua parte diante da chegada de óleo nas praias da capital baiana, detectada na última sexta-feira. Ele diz que foi reconhecido pelo Ibama e pela coordenação do incidente que a administração municipal está preparada para fazer o "básico", que é a limpeza das praias.

No entanto, o secretário lamenta a falta de habilidade para detectar a origem exata do vazamento de petróleo bruto, que começou no início de setembro. Especialistas apontam que o produto teria origem na Venezuela. Além disso, a Marinha notificou 30 navios de 10 países após as manchas. No entanto, o responsável pelo vazamento ainda não foi identificado.

"A gente lamenta muito a falta de habilidade para se estabelecer a origem. Até mesmo para esclarecer para a sociedade e para a população. Mas a gente tem feito nossa parte. No âmbito da prefeitura, o presidente da Limpurb, Marcos Vinícius, ficou designado pelo prefeito para participar do comitê de acompanhamento", explica.

No serviço de limpeza das praias soteropolitanas, a Limpurb coletou 35 kg do material no final de semana.  O secretário espera agora que a situação seja solucionada em breve, para que o setor turístico não sofra com os efeitos da poluição na alta estação. 

"Do ponto de vista de nós, não só baianos, mas nordestinos, a gente depende muito do turismo, no nosso litoral, sobretudo na fase do ano em que se aproxima o verão. A gente espera que isso possa ser atenuado e resolvido de forma mais ampla e definitiva, para que a gente não tenha tanto prejuízo na alta estação", avalia.

Notícias relacionadas