Cidade

Empresas espanholas devem concluir estudo para Centro de Convenções estadual em 6 meses

Resultado da manifestação de interesse foi publicado no Diário Oficial do Estado da quinta-feira (13)

[Empresas espanholas devem concluir estudo para Centro de Convenções estadual em 6 meses]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Juliana Almirante no dia 14 de Fevereiro de 2020 ⋅ 07:26

As empresas espanholas OHL Desarrollos (OHLD) e Fira de Barcelona Internacional apresentaram interesse para elaborar estudos para viabilidade técnica, econômica e ambiental do Instituto do Cacau, a fim de implantar o Centro de Convenções da Bahia no local.

A implantação deve ser viabilizada por meio de uma Parceria Pública-Privada (PPP). O resultado da manifestação de interesse foi publicado no Diário Oficial do Estado da quinta-feira(13).

De acordo com a Secretaria de Turismo do Estado, serão avaliados todos os aspectos econômicos e financeiros do projeto, de acordo com o cronograma estimado em seis meses, que ainda pode ser estendido por acordo entre as partes.

Para ter conhecimento do montante que será necessário para investir no espaço, assim como o custo operacional e início das obras, será necessário um diagnóstico mais detalhado, que vai sair deste estudo. 

Segundo o secretário do Turismo, Fausto Franco, a proposta não é de apenas construir um Centro de Convenções, mas também um grande complexo, que vai incluir hotéis, centro comercial, lojas e restaurantes.

Conforme o site da OHL Desarrollos (OHLD), a empresa "concentra sua atividade na criação de produtos imobiliários de prestígio em áreas de interesse turístico e histórico". Já a Fira de Barcelona se define como "uma das organizações de feiras mais importantes da Europa em termos de volume e qualidade de seus eventos, alto nível de seus locais e experiência organizacional e profissionalismo".

Notícias relacionadas

[Vacina de Oxford contra a Covid-19 será testada em Salvador]
Cidade

Vacina de Oxford contra a Covid-19 será testada em Salvador

Por Kamille Martinho no dia 10 de Julho de 2020 ⋅ 17:20 em Cidade

Os 5 mil voluntários que serão selecionados devem ter entre 18 a 55 anos, pessoas que tenham uma alta exposição ao vírus, além de não terem sido contaminados até agora