Economia

Inflação menor apertará teto de gastos, diz secretário

Despesas projetadas para o ano estão temporariamente acima do limite e já são programados ajustes para diminuir custos

[Inflação menor apertará teto de gastos, diz secretário]
Foto : José Cruz/Agência Brasil

Por Danielle Campos no dia 23 de Maio de 2020 ⋅ 09:00


O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse nesta sexta-feira (22) que a redução da estimativa do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 3,1% para 1,8%, para 2020 apertará o teto de gastos para 2021. 

O Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, enviado ontem ao Congresso, desenquadrou gastos federais em relação ao teto de gastos. O total de despesas sujeitas ao teto é R$ 1,963 bilhão, acima do limite de R$ 1,456 trilhão. O secretário de Orçamento Federal, George Soares, ressaltou, porém, que o estouro do limite é temporário e que o teto de gastos será cumprido à medida que os próximos relatórios, trouxerem ajustes novos para que as despesas federais encerrem o ano reenquadradas ao limite.

Soares destacou que os dois principais ajustes que trarão a despesa para dentro do teto, são o encolhimento na despesa de pessoal, que diminuirá R$ 5,8 bilhões, e uma redução de R$ 2,3 bilhões por mês (de abril a junho) na verba do Bolsa Família, que migrou temporariamente para o auxílio emergencial. 

Notícias relacionadas

[Guedes defende saída da 'letargia econômica' em dois estágios]
Economia

Guedes defende saída da 'letargia econômica' em dois estágios

Por Luciana Freire no dia 29 de Maio de 2020 ⋅ 14:40 em Economia

Para o ministro no início da crise provocada pelo novo coronavírus, as ações se concentraram na questão da saúde, “a primeira onda que o país precisou enfrentar. Agora, a...